Crédito: Samuel Chicole

EP do músico e produtor paulistano traz cinco músicas enérgicas, repleta de efeitos e pesadas para dilacerar os distintos sentimentos, entre alegrias e agonias, do cotidiano

Da dor ao amor, da alegria à agonia, da introspecção à explosão, o cotidiano moderno é uma montanha russa de sentimentos, que mudam subitamente em um piscar de olhos. Impossível de se controlar tantos sentimentos, tentar mudar, retomar a direção. É sobre estas visceralidades e urgências do indivíduo que o músico e produtor paulistano Ablan Namur escancara tudo e mais um pouco no EP Verdades Malditas.

Verdades Malditas chega às plataformas de streaming no dia 30 de agosto. Ouça aqui: https://onerpm.link/972427520208.

O EP, completamente gravado e produzido por Ablan ao longo dos últimos anos, possui cinco músicas dilacerantes, rápidas e repletas de efeitos.

As batidas remetem ao hardcore melódico, os riffs ao post hardcore e ao rock alternativo moderno, junto a nuances do punk e até do metal industrial devido às distorções tecnológicas.

Ablan tem como referência bandas como Hot Water Music, Alexisonfire, Rancore, Refused, Fugazi, Title Fight, Sugar Kane, Zander, NOFX, A Day To Remember, entre outras.

Possui, por certo, uma atmosfera bem visceral e orgânica com sentimentos de dor, misturado à euforia e agonia, com uma gota de saudade. É também para lembrar dos momentos difíceis e diminuí-los. Lembrar dos momentos bons e celebrá-los.

O ritmo frenético do EP coloca os sentimentos em cheque, quase sempre massacrados pelas levadas marcantes pelos timbres autênticos de guitarras, baixo e bateria.

“Temos também um toque de amor e saudade, que nos leva a lembranças da infância e juventude, fazendo com que essas lembranças venham à tona e nos confortem. É para extravasar, sentir na pele os sentimentos que carregamos e fazer com que eles tragam a catarse e emoção”, contextualiza Ablan.

Verdades Malditas é uma lição de vida, um livro aberto sobre os aprendizados da vida entre conquistas e derrotas. É, ainda, um tapa na cara para encarar o amanhã.

O tema do disco é voltado a problemas conectados à depressão, síndrome do pânico, adicção, ansiedade, amor não correspondido, violência verbal, doutrinação, mediocridade.

“Esse memento significa um primeiro passo para que as pessoas possam conhecer meu trabalho e se jogar de cabeça nas canções que tenho a oferecer!”, ele finaliza.

O projeto

O projeto solo de Ablan Namur surgiu em meados de 2013 para produzir músicas que misturam um pouca da sua realidade momentânea e o peso da sua outra banda, Muda, encerrada naquele mesmo ano.

Com canções agressivas, melódicas e destonais, foi gravado seu primeiro e segundo single apenas em 2018 e lançadas em 2021 – Vamo Dormi? e Vim Trazer, nas plataformas digitais. Agora é a vez de um material mais robusto, autêntico e explosivo, com Verdades Malditas.

“A música é um poço de sentimentos e emoções onde podemos nos jogar e emergir durante um momento e então nos desligamos do que está envolta e começamos a sentir essa explosão dentro de nós”, comenta Ablan sobre sua música.

Ablan Namur nas redes:

https://www.instagram.com/ablannamur

Fonte: Tedesco Mídia

By Biano

Agente secreto URSAL a serviço no Brasil , curtidor de Músicas Subversivas e um tanto extremas, degustador de cerveja !

Deixe uma resposta